A.C.C.

“imagino como seria te amar

teria o gosto estranho das palavras
que brincamos
e a seriedade de quando esquecemos
quais palavras

imagino como seria te amar
desisto da ideia numa verbal volúpia
e recomeço a escrever
poemas.”

– não recordada memória de minha autoria destinada a algum momento eterno que durou um dia.