Excesso de Merda

Tem gente que diz que te ama e não se contenta em te ver doente que quer acabar de matar.

Eu não posso acreditar que seja simplicidade demais. É ignorância mesmo.

Ignora que você não está bem e faz questão de te provocar sentimentos ruins, sabendo que determinadas falas e atitudes vão sim provocar um sentimento ruim porque já te conhece. Colocar a mão na consciência e calar pra que? Se a culpa é da pessoa que tá morrendo e mesmo assim ainda tem preferências, vontades e um modo de ser?

Respeitar quem é o outro, os limites do outro, tem relação direta em definir os próprios limites.

Ir até um ponto e não invadir irresponsavelmente campos dos quais você não tem direito de alcançar, não importa quem você é. Se o limite é do outro, então não é seu. E não venha querer mudar a posição da cerca que marca a Frontera na surdina da madrugada, porque o dono do terreno vai reclamar.

Não dissimule.

2019 foi e está sendo o ano dos meus maiores tormentos íntimos e da minha falta de casa.

Mas 2018 me deixou um pouco mais forte para este ano…

Merdas nos preparam para novas merdas.

E, inconscientente/ inconsequentemente, eu repasso a bordoada que recebo adiante. Como numa fila sufocante dentro de um espaço apertado e tenso.

A gente vai relativizando o próprio comportamento conforme o tratamento que recebe do entorno. O grupo pressiona e mesmo sem querer e abobnando isto, você acaba pressionando um ou outro também.

 

“Se queres paz, te prepara para a guerra.”

 

Os outros serão sempre os outros.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s