Quarencrazy

Hoje meu estômago doeu e o coração bateu apertadinho ao lembrar de cenas de um outro eu.
As pequenas provas de amar e ser amado. Beeeem no meio do passado.
Por que as pessoas que amei mudaram tanto a ponto de não mais existirem?
Nem eu sou quem fui.
Épocas que não voltam… alegrias coletivas numa realidade construída em conjunto que me acolhia.
É tão bonito perceber que alguns vasos não nos cabem mais…
Mas também é tão dolorosa a transmutação.
Vivi preciosidades.
Jóias raras que não perderam valor, só permanecem escondidas nos cofres da minha memória. Longe dos olhos de todos os outros que julgam mas não sabem, que a doçura que me abriga jamais teve tanto medo de se revelar.
A vida é sobre se conectar às infinitas possibilidades e entender que se se está sozinho, num mundo que só tem valor quando compartilhado.
Sigo esperando alguém que crie pontes, permitindo mútuo acesso.
Sonho com o amor que cria novos mundos e enriquece a vida…
E desobedece.
Às vezes fraquejo e duvido do meu valor. “Será que não nasci pra isso?” Mas as memórias despontam amostras de acesso.
Eu quero, eu acredito.
Os dias mais felizes da minha vida estão por vir.
E, nesse momento, eu agradeço pelas oportunidades que me fizeram ter fé nisso.
Reciprocidade, paz e entrega.

É preciso estar muito firme quando os beijos sem amor acontecem… encarar que o outro é capaz de se desvencilhar dos seus encantos é parte do processo de não se relacionar. Quem não se valoriza, não é capaz de valorizar o outro.
É como se prender na própria armadilha.

O coração chora.

Mas é tudo escolha.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s