Primeiro Passo

A primeira coisa sobre o exercício de amar é não ter medo de amar.

Pode se pensar que ama, achar que ama e não se comportar com amor.

Sentimentos levam à ação, às vezes passando por cima dos pensamentos, pulando esta etapa.

Sente e age.

O mundo me ensinou a não amar cegamente, mas o que é amar se não a fé cega de que se pode confiar em alguém?

A premissa base do amor é se entregar.

Os manuais de sobrevivência ensinam que não se pode confiar em ninguém.

Eu tento buscar minha sensação de confiança enquanto tento demonstrar que sou confiável…

Existe aquele que não se permite parecer confiável. Por não o ser e, por ser verdade e por amar, não engana.

O ser humano tem a característica fundamental de ser imprevisível…

O amor não aparece nos jornais.

O amor verdadeiro é justo, honesto, seco.

O que dá ibope é a ilusão.

Eu busco me iludir e encontrar alguém que demonstre criar e defender essa fantasia. Que escolha construir a história em cima de um sentimento que existe e que, na intenção de que se mantenha pelo tempo mais longo possível, seja continuamente exercitada a vontade através de elementos criados em favor da manutenção desse jardim. Rituais de crescimento, fortalecimento…

Rituais cotidianos de manutenção.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s