Profundo

Nesse mergulho em mim, o amor foi o pedaço submerso que mais fui ao encontro como numa caça ao tesouro.

O amor em toda suas formas… reconhecer esse sentimento era vital.

Por muitas vezes eu duvidei do que sentia.

Com razão e às vezes sem.

Eu não sabia olhar e reconhecer o que sentia… amizade, admiração, curiosidade, interesses… tantos enganos já passaram pelo meu coração.

Até conseguir reconhecê-lo.

A pedrinha brilhante, dura e mais bonita que ficou parada na minha peneira… depois de uma busca sem muita consciência pelos cacos espalhados nos meus abissais.

Nesse momento me sinto grande, forte e firme apesar da dor. Por ter conseguido identificar quando é o princípio do amor.

Eu o encarei de frente com muita certeza, chorando pela feliz conquista de ter, finamente, o encontrado.

Encontrado a pedra fundamental da minha emoção…

Nenhum outro sentimento pararelo dessa vez consegue ser confundido com ele, a ponto de me deixar na dúvida.

É muito mais gostoso caminhar sobre solo sólido, onde os passos de tão firmes até deixam as pernas e pés parecerem mais bonitos e saudáveis nessa caminhada.

Foi assim que hoje andei na sala de casa com meias de plush nos pés.

Andei com a certeza de quem sabe o que sente e entende as escolhas que faz.

Pensei em muitas consequências antes de dizer aquele tchau. Principalmente na consequente e óbvia dor que viria em seguida.

Mas é como entrar de uma vez num rio de água fria… nos primeiros segundos você nem sabe o que está sentindo, até conseguir assimilar a água rígida ao redor do corpo fazendo com que seus músculos se contraiam e você perceba o incômodo.

O vazio eu já senti.

O pensamento foge de qualquer lembrança, mas a proximidade ainda traz seu rosto à tona pela ironia do algoritmos.

Aquele pensamento que tende a achar que isso tudo que é passageiro é esmagado pela certeza da realidade construída juntos.

Eu resolvi sair, ele abriu o portão.

Tentamos.

Eu assumo a consequência objetiva de quem vai embora.

Mas sinto grande alegria por não ter dúvidas sobre o meu amor e o que fazer com ele.

No fundo das águas que compõem a vida, a pedra mais bonita vai continuar ali, já que o amor é algo que está, afinal, em mim. Parte de quem eu sou.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s